Ferramenta diminui gastos com registro de pontos
PUBLICIDADE
Portal Revista Infra - quinta-feira, dezembro 14, 2017
Consulte nossos conteúdos
Ferramenta diminui gastos com registro de pontos
Criado pela PontoTel, novo sistema permite bater ponto através de tablets e celulares

A redução de custos, o aumento da produtividade e a otimização de processos dentro das empresas, especialmente em momentos de crise econômica, são essenciais para a sobrevivência e competitividade no mercado. De olho nessa necessidade, a companhia de tecnologia PontoTel criou um sistema que deve facilitar a marcação de pontos e fechamento de folhas de pagamento nas empresas. A ferramenta permite que os funcionários marquem seu ponto por meio de telefone, celular, tablet ou computador, gerando folhas de pontos e relatórios de maneira automática, sem que seja necessário perder tempo com processos manuais. Mais barato e de fácil entendimento, o sistema online promete evitar erros e fraudes nos registros, além de reduzir os custos com processos trabalhistas, uma vez que oferece dados mais precisos e seguros.

“Nosso produto permite que o funcionário bata o ponto no sistema através de uma senha e de uma gravação de voz com seu nome, enviando essas informações em tempo real para o departamento pessoal da empresa”, afirmou um dos sócios e fundadores da companhia, Pedro Pimenta, que lembra que o dispositivo pelo qual o funcionário acessou o sistema também permite saber qual a sua localização.

Pimenta explica que essa forma de uso e a sua instalação trazem praticidade para as empresas, que podem instalar um tablet na parede no mesmo local do antigo registro de pontos, por exemplo, ou fornecer um celular para os funcionários. O sistema ainda possui uma voz que dá instruções, dizendo o que o funcionário deve fazer e avisando, inclusive, se ele já bateu ou não os pontos de determinado dia.

A simplicidade de uso é um dos fatores que auxilia em um maior controle das operações por parte das empresas. Segundo o sócio da PontoTel, que foi criada em 2014 como uma startup dentro da Wayra – iniciativa de apoio a startups tecnológicas do grupo Telefônica –, muitas companhias têm dificuldades com a gestão dos pontos e o controle de frequência, não sabem se há evasão de funcionários. Ele argumenta que ao usar recursos como o de gravação de voz, por exemplo, é possível provar quem está batendo o ponto e eliminar esse problema. “Há até a possibilidade de avaliar melhor o desempenho dos funcionários, saber quais estão cumprindo horários e produzindo. Colabora para uma relação de trabalho mais transparente”, acredita.

Outro problema enfrentado por algumas dessas empresas são as despesas com o elevado número de processos trabalhistas, no qual o sistema pode colaborar ao registrar dados mais confiáveis, resguardando a empresa e o próprio funcionário. Dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) comprovam o excesso de ações na Justiça do Trabalho, que recebeu só em 2014 quase quatro milhões de processos trabalhistas, número que cresce a cada ano. De 2009 a 2014, esse volume acumulou alta de 16% e uma das principais motivações são problemas no pagamento de número de horas extras trabalhadas. Essa enorme quantidade de processos gera bilhões em indenizações e pesa no caixa das empresas. Em 2012, R$ 18,6 bilhões foram pagos aos trabalhadores em indenizações trabalhistas.

Além de trazer maior segurança jurídica em relação a possíveis processos, o sistema vendido pela PontoTel também já é regularizado, já que a portaria número 373 de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego autorizou a possibilidade de adoção pelos empregadores de sistemas alternativos de controle de jornada de trabalho.

Todas essas dificuldades enfrentadas pelas empresas aumentam se elas possuem um número elevado de colaboradores trabalhando em diferentes unidades e em horários diversos. É o caso de companhias que atuam no setor de prestação de serviços terceirizados, por exemplo, cuja maioria dos funcionários fica alocado em outras empresas. Atualmente, a maior parte dos clientes da PontoTel estão neste segmento, entre elas as empresas como a Vikings Terceirização, a Construtora Monte Azul e a Ala Serviços.

Apostando nesse nicho, a PontoTel, que hoje possui 20 clientes, somando seis mil funcionários que usam seu sistema, pretende passar a atender 20 mil funcionários até fevereiro de 2016, com o fechamento de alguns contratos já em negociação. Até o final do ano que vem, a previsão é conquistar de 10 a 12 novos clientes. Com isso, a empresa, fundada há menos de um ano pelos sócios Pedro Pimenta e Gustavo Bobrow, deve dobrar seu faturamento até o final do ano.

Novas empresas interessadas não devem faltar, com grande potencial entre as tercerizadoras. Segundo dados de 2014 do Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão de Obra e de Trabalho Temporário no Estado de São Paulo (Sindeprestem), a terceirização emprega 14,3 milhões de trabalhadores formais no Brasil. O setor é composto por 790 mil empresas, que faturam R$ 536 bilhões ao ano.

Conheça mais sobre esta tecnologia assistindo aos vídeos nos links a seguir:

Vídeo 01: https://lar21.wistia.com/medias/22qhe1tprf   

Vídeo 02: https://lar21.wistia.com/medias/id33rfmfot

Para acessar o portal da PontoTel, clique aqui: http://home.pontotel.com.br.


PUBLICIDADE

LÍDERES DE AUDIÊNCIA

Conteúdos que historicamente tiveram um grande número de visualizações. Confira abaixo alguns deles.

EDITORIAS DE MERCADO

Os conteúdos líderes de audiência que foram publicados em nossas revistas impressas ao longo da história da revista

CONGRESSO INFRA

Acesse o site de eventos e saiba mais sobre os próximos encontros da Revista Infra em todo o Brasil.

INFRA IMAGENS

Acesse o Infra Imagens - Nosso canal de imagens no Flickr com fotos dos nossos mais recentes eventos em todo o Brasil.
COPYRIGHT © 2003-2017 TALEN EDITORA
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Avenida jabaquara, 99 3. andar - Cj. 35 - Mirandópolis
Cep 04045-000 São Paulo/SP - Tel. 11 5582.3044