O mundo não acabou
PUBLICIDADE
Portal Revista Infra - quarta-feira, junho 20, 2018
Consulte nossos conteúdos
O mundo não acabou
E cabe a nós cuidar muito bem dele. Desenvolvimento sustentável é primordial
Felizmente, não se cumpriu, no que seria o fatídico 21 de dezembro de 2012, a terrível Profecia Maia sobre o fim do mundo. E se nosso planeta não acabou, cabe a nós cuidar muito bem dele! Isso significa cumprir o conceito de sustentabilidade em sua completa acepção, ou seja, promover um modelo de desenvolvimento economicamente viável, socialmente justo e ecologicamente correto. Esta é missão que começa pela boa gestão da macroeconomia, o que implica, no caso brasileiro, na realização das tão sonhadas reformas estruturais, passa por uma legislação ambiental mais eficaz e menos coercitiva, e culmina com o planejamento adequado do crescimento das cidades, pois é nestas que a vida da maioria dos terráqueos acontece.

No sobrevivente Brasil, 93,6% dos habitantes, ou 238 milhões de habitantes, irão morar em cidades até 2050, indica estudo da ONU. Assim, o desafio da sustentabilidade do meio urbano é prioritário, impondo importante missão aos prefeitos e vereadores que iniciam seus mandados em 1º de janeiro próximo. O fluxo migratório está ligado à economia, pois é natural as pessoas procurarem locais onde possam garantir emprego e melhores condições de saúde, educação e vida. Entretanto, os municípios que recebem esses contingentes populacionais nem sempre estão preparados para atender às demandas. A falta de planejamento gera uma série de problemas sociais e ambientais, como desemprego, criminalidade, favelização e poluição das águas, além de ônus para o poder público.

Por isso, as cidades precisam de fontes seguras de financiamento, de fontes federal e estadual, além de sua própria receita tributária constituída pelo IPTU e ISSQN (Imposto de Serviços Sobre Qualquer Natureza). Se teremos uma expansão urbana inexorável, é necessário que seja sustentável. As questões ambientais, econômicas e sociais precisam ser discutidas em conjunto, para que se cumpra o artigo 225 da Constituição de 1988: "Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade da vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações." No meio urbano, isso significa infraestrutura de saneamento básico, mobilidade, arborização, criação de parques regionais, despoluição de rios e segurança.

Devemos criar formas mais inteligentes de lidar com os ciclos migratórios, por meio de ações como a salvaguarda do espaço territorial para moradia e trabalho e a expansão dos serviços públicos. Esse tipo de fenômeno socioeconômico impõe às autoridades municipais a necessidade de conceber e adotar normas ambientais específicas para cada situação. Definir a preservação de áreas para fins ambientais com base apenas no texto da lei não é funcional. É preciso, também, criar instrumentos efetivos de controle da ocupação urbana. Também precisamos de uma legislação mais contemporânea e inteligente, capaz de preservar o meio ambiente sem impedir o progresso, inclusive urbanístico e arquitetônico. Urge a conscientização sobre o crescimento urbano e seu prévio planejamento, de modo que o Brasil, pelo menos enquanto dure o mundo, possa ser verdadeiramente sustentável. 







Luiz Augusto Pereira de Almeida
é diretor da Fiabci/Brasil e diretor de Marketing da Sobloco Construtora

PUBLICIDADE

LÍDERES DE AUDIÊNCIA

Conteúdos que historicamente tiveram um grande número de visualizações. Confira abaixo alguns deles.

EDITORIAS DE MERCADO

Os conteúdos líderes de audiência que foram publicados em nossas revistas impressas ao longo da história da revista

CONGRESSO INFRA

Acesse o site de eventos e saiba mais sobre os próximos encontros da Revista Infra em todo o Brasil.

INFRA IMAGENS

Acesse o Infra Imagens - Nosso canal de imagens no Flickr com fotos dos nossos mais recentes eventos em todo o Brasil.
COPYRIGHT © 2003-2018 TALEN EDITORA
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Avenida jabaquara, 99 3. andar - Cj. 35 - Mirandópolis
Cep 04045-000 São Paulo/SP - Tel. 11 5582.3044