De hoteleiros para provedores de experiência

Essa foi a tônica do seminário da ADIT Hotel que debateu desenvolvimento e investimentos hoteleiros no Brasil

Notícia publicada em 7 de novembro de 2018

Felipe Cavalcante, presidente da ADIT Brasil, durante a 1a edição do ADIT Hotel, realizado em São Paulo

Para discutir as tendências, transformações e evolução da hotelaria no país, a ADIT Brasil inovou e lançou a primeira edição do ADIT Hotel - Seminário sobre Desenvolvimento e Investimentos Hoteleiros, que ocorreu na última segunda-feira (5 de novembro), no Hotel Pullman São Paulo Vila Olímpia. O evento reuniu grandes redes, hotéis independentes, gestores, consultores e desenvolvedores, além de síndicos e proprietários de condo-hotéis, pool e flats, para fomentar discussões e disseminar as melhores práticas no setor.

O presidente da ADIT Brasil - Associação para o Desenvolvimento Imobiliário e Turístico do Brasil, Felipe Cavalcante, deu boas-vindas ao público e disse que estava feliz porque vínhamos de uma política e de uma economia que estava com uma âncora amarrando os negócios e essa âncora parece que será superada com os movimentos de designação de um novo ministério de notáveis para o Brasil, embora acreditando que só teremos resultados visíveis do novo governo a partir do segundo semestre de 2019. Disse ainda que antes os investidores queriam encontros de 15 minutos e hoje esses encontros já duram mais de duas horas, o que acena que os investidores não deixaram de olhar o país.

"Acho que o presidente está com um capital político que raras vezes existiram no Brasil, e que ele vai ter muita força nos primeiros meses, exatamente por ser uma governabilidade a longo prazo, acho que obviamente ele não vai aprovar tudo, qualquer pessoa que ache que ele vai aprovar todas as reformas é ingênuo, mas o caminho está dado e várias reformas vão ser feitas. Esse é um sentimento que permeia a sociedade brasileira, na hora que a grande liderança diz "olha, esse é o caminho", o poder judiciário, o poder público, as pessoas, começam a atuar mais unilateralmente, então acho que tudo isso nos deixa mais otimista e abre uma oportunidade para colocarmos mais produtos hoteleiros na prateleira", resume Cavalcante.


Na programação, o painel "Perspectivas do mercado: a visão de quem comercializa hotéis e resorts no Brasil" teve a participação de alguns dos maiores líderes em vendas do setor no país, destacando-se a presença do diretor geral de Produtos do Grupo CVC, Claiton Armelin, e do diretor do Clube de Turismo da Bancorbrás, Carlos Eduardo Pereira.  

Para falar sobre "Turismo compartilhado e a força da nova economia: o papel do timeshare e da multipropriedade no Brasil", o ADIT Hotel trouxe Francisco Costa Neto, CEO do Grupo Rio Quente Resort, e Murilo Pascoal, CEO do Beach Park Entretenimento.

Nestes dois painéis foi consenso de que é preciso que o empreendedor trabalhe com uma hotelaria inteligente, cujo foco é o encantamento do consumidor, procurando trazer muito mais entretenimento de experiências para dentro dos hotéis quanto também para as localidades onde estes equipamentos estão presentes, sem deixar de focar a atratividade da cultura local. O segmento tem que ter como propósito fazer o hóspede feliz, para isso é importante que o empreendedor deixe de ser hoteleiro e passe a ser um provedor de experiências.

O evento contou ainda com os seguintes temas: "Tendências de design e arquitetura na hotelaria", por Paulo Mancio, da AccorHotels; "A força de uma marca", por Carolina Pinheiro, do Wyndham Hotels e Resorts; "O comportamento do viajante digital no Brasil", por Carolina Haro, da Mapie; "A administração de hotéis multipropriedade", por Alexandre Zubaran, da Enjoy; "As tendências da hotelaria tradicional face aos novos meios de hospedagem", por Eduardo Camargo, da AccorHotels; e "A regulamentação de condo-hotéis", por Caio Calfat, da Caio Calfat Real Estate Consulting.

Encerrando a programação, o prêmio "Legado ADIT - Uma vida que valeu a pena ser vivida" foi entregue a Roland de Bonadona, mentor do projeto que conduziu a expansão da AccorHotels no país. Após graduar-se em Administração de Empresas na Universidade de Paris IX, Bonadona iniciou a carreira estagiando como cozinheiro e garçom de hotel, no início dos anos 70. Em 1990, quando já ocupava o cargo de gerente de desenvolvimento da rede Sofitel na França, foi transferido para o Brasil para trabalhar na expansão local da marca. Logo foi nomeado diretor da AccorHotels no país e liderou um projeto que ajudou a consolidar o Grupo Accor na liderança do negócio hoteleiro nacional e o Brasil como terceiro maior mercado mundial da companhia. Após assumir também a responsabilidade pelas Américas do Sul e Central, por México e Caribe e, por fim, por Canadá e Estados Unidos, o profissional encerrou em 2015 uma carreira de 42 anos na Accor. Fundou então a Bonadona Hotel Consulting, passando a oferecer assessoria estratégica para grupos hoteleiros e imobiliários. Planejamento, diagnóstico organizacional, acompanhamento de negociações e mediação de litígios estão entre os serviços prestados. O Brasil segue sendo seu lar. "É um país de contrastes e grandes desafios, mas de um povo fantástico e com grande potencial para Turismo & Hospitalidade", comentou.

Fotos: Divulgação ADIT Brasil