Hospital Israelita Albert Einstein moderniza sistema de iluminação

Economia é equivalente ao consumo de mais de 8.600 residências

A Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein e a Eletropaulo celebraram um acordo para aumentar a eficiência no uso da energia elétrica na Unidade Morumbi do Einstein. Por meio do Programa de Eficiência Energética da concessionária, serão instaladas, até o final de 2018, placas solares, novas bombas a vácuo e substituídas 18.550 lâmpadas fluorescentes por lâmpadas LED, permitindo economia de 2.150 Megawatt-hora por ano (MWh/ann o), equivalente ao consumo de mais de 8.600 residências.

"O Einstein tem como uma de suas estratégias aumentar a eficiência no uso de recursos, como a energia elétrica, e este acordo é um passo importante para tornar as suas atividades mais sustentáveis", afirma Junia Gontijo, diretora-executiva de Patrimônio, Engenharia e Infraestrutura do Einstein.

O Programa de Eficiência Energética tem como objetivo promover o uso consciente e racional de energia. Segundo a concessionária, anualmente, são abertas chamadas públicas para apoiar projetos, que contribuam para a promoção do uso consciente da energia elétrica. Em 2017, foram investidos R$ 15,3 milhões em iniciativas de eficiência energética. O acordo com o Einstein envolve o aporte de R$ 2,5 milhões da Eletropaulo.

"Enquanto uma lâmpada fluorescente requer cerca de 40W para produzir determinado fluxo luminoso, uma lâmpada LED precisa de apenas 18W", afirma Rubens Leme, coordenador de Usos Finais da Eletropaulo. Segundo ele, outro ganho da utilização das lâmpadas LED é que são muito mais duráveis do que as incandescentes e fluorescentes. "O LED tem vida útil de 25 mil horas contra 7 mil horas da fluorescente".

Além disso, existem vantagens, como a redução de elementos nocivos ao meio ambiente, a exemplo do fósforo e do mercúrio, utilizados nas tradicionais lâmpadas fluorescentes. Há também menor risco de quebra e acidentes, que aconteciam com as frágeis unidades de vidro, a pouca geração de calor e a baixa emissão de radiação IV/UV.

Foto: Divulgação