Horizontalidade

Explore a nova sede da B&F Dias, com seu Centro de Visitantes e Edifício Principal inseridos em área com 29 mil m²

Especializada em sistemas de aeração por ar difuso, a B&F Dias opera desde outubro em uma nova sede na cidade de Vinhedo, interior de São Paulo. A instalação, que tem projeto assinado pelo escritório Shieh Arquitetos Associados, fica em um terreno de 29.000 m² rico em vegetação, onde tomou-se o cuidado de preservar a mata existente e respeitar os limites da APP (Área de Preservação Permanente) referente ao Rio Capivari, que passa pelo local.

A entrada do complexo é marcada pelo Centro de Visitantes. Apartado do edifício principal e próximo à rodovia de acesso, o centro funciona como uma recepção aos visitantes, onde há uma introdução à empresa B&F Dias e informativos sobre a preservação ambiental no empreendimento. 

Com estrutura metálica, e aproveitando o desnível do terreno, criou-se um volume puro que parece pousar sobre a base, avançando em um balanço de 5 metros. O balanço é possibilitado por um par de grandes treliças metálicas, com altura equivalente ao edifício, que marcam a fachada, criando uma área de sombra para um pequeno estacionamento. 

Seguindo o percurso pelo terreno esguio, 300 metros adiante, chega-se em um alargamento onde foi implantado o Edifício Principal, que abriga em um único volume o setor fabril e a administração. A área administrativa volta-se para a mata, aproveitando a vista e a insolação pela manhã. Longilíneas varandas marcam a fachada e configuram uma área de descanso e contemplação. O galpão de produção, adjunto à administração, abre-se para o terreno, e usa de uma grande área para manobras dos caminhões.

A entrada do edifício se dá pelo pavimento térreo superior (pavimento intermediário). Essa grande varanda de chegada é protegida por fechamento leve em chapa perfurada, e configura uma área de transição entre externo e interno. Adentrando o edifício, o hall de recepção - com pé-direito duplo e junto ao vazio da circulação vertical - possibilita o entendimento do projeto: percebe-se a relação visual entre a mata e o edifício. Bastante linear, o restante do pavimento é ocupado pela administração e acessos para o galpão.

O pavimento térreo inferior é ocupado pelas áreas de suporte aos funcionários: vestiários, área de descanso, garagem e refeitório. Já no pavimento superior, se situa a diretoria e um auditório para apresentações e treinamentos. Por sobre a varanda de entrada, uma passarela conecta a diretoria a um terraço que flutua sobre a recepção, configurando um local de destaque e observação da paisagem e da movimentação.

A concepção estrutural foi pensada para uma construção rápida e limpa, que permitisse grandes vãos. A estrutura principal é inteiramente em concreto pré-moldado. Pilares e vigas com os consoles tipo Gerber, lajes alveolares, telha protendidas em perfil W e fechamento do galpão em painéis de concreto. As estruturas auxiliares, como por exemplo a caixa do elevador e as marquises, foram feitas em estrutura metálica, o que propicia uma maior esbeltez aos elementos.